segunda-feira, 26 de janeiro de 2009


Fantasia de Enfermeira

Todo mundo conhece aquelas fantasias de Enfermeira vendidas nos carnavais e sex-shop de todo o mundo. Mas sempre me perguntei por que não tem fantasia de médica, nutricionista, psicóloga, assistente social ou até da moça da limpeza que trabalha lá no hospital junto ao paciente?

A sexualidade é algo muito complexo e um verdadeiro tabu para ser discutido. Aprendi no meu curso técnico que deveria zelar pelo pudor do paciente e a me resguardar como profissional e mulher, mas...não fui ensinada a lidar com determinadas situações que algumas vezes ficamos sem saber o que fazer.

Nos primórdios da Enfermagem, os pacientes eram cuidados por prostitutas e mulheres que não tinham uma vida correta, com a chegada da era Florence Nightgale o cenário mudou, depois as mulheres passaram a ser de classe alta, educadas, finas e assexuadas!!! Sim, este termo mesmo, pois sua sexualidade era reprimida para poder cuidar de seus pacientes que também eram vistos como seres assexuados.

Mas, como?

Não somos seres holísticos? (lá vem o bendito holístico de novo!!)

A sexualidade não faz parte desta visão tão ampla?

Já vi umas cenas grotescas de paciente e enfermagem, por falta de percepção e tato, por falta realmente de conhecimentos sexuais, por falta de conhecimento patológico e fisiológico, por falta da forma prática e livre das amarras que nos é imposto desde pequenos.

Imagine comigo, um homem no leito de um hospital, acamado há dois meses, sem poder levantar, tudo dele é feito ali, banho, curativos, medicação, troca de roupas, de sondas.

Este ser acamado há dois meses é um homem produtivo, jovem, mas por algum motivo está ali neste estado, sem contato com o mundo lá fora, longe do seu ambiente, algumas vezes sozinho sem acompanhante, frágil e vulnerável e sem...relações sexuais! Enfim, está ali com um quadro estável que o permite ficar acordado e consciente.

Então eis que chega para cuidar-lhe de manhã cedo, uma Enfermeira!! Ou uma t
écnica, ou uma Auxiliar, enfim, alguém da Enfermagem que veste branco ou outra cor que agora está entrando no mercado e irá cuidá-lo.

Esta mulher chega bem arrumada, bonita, cabelos alinhados, cheirosa, com um sorriso nos lábios ( não é assim que tem que ser?) começa o seu trabalho, dá um bom dia sorridente (por que temos que ser agradáveis e comunicativas) e informa-lhe o que vai fazer, seu banho, troca de curativos e lencóis.

Chega próximo dele, ele consegue sentir seu cheiro, cerca seu leito com biombos para garantir a privacidade dele, e começa seu trabalho, despindo-o e lavando parte por parte, dando seu banho, fazendo a massagem de conforto para ativar a circulação, ela durante este banho toca todo o corpo do paciente e como foi orientada tem que conversar com ele, calma e tranquilamente em tom baixo para não perturbar os outros pacientes, depois troca os curativos e lençóis e o posiciona confortavelmente em seu leito, se ele tiver barba para fazer, esta será feita, o cabelo será penteado.

Agora pense e veja com outros olhos, o quanto este cidadão depois de toda esta rotina tem de chance para sonhar com esta mulher quando sair ou enquanto estiver ali, ou ainda no calor da situação o quanto ele tem de chances de ficar excitado!

Aí é que está o x da questão.

Não está em nenhum livro e ninguém nos orienta o que fazemos nesta hora.
Sexo é uma coisa natural e uma necessidade natural, faz parte das necessidades básicas apesar de muita gente relutar contra isso, porém, cheia de tabus e como podemos trabalhar tocando alguém, fazendo parte de sua intimidade, sem entender este alguém, sem entender suas reações, esperando deste ser humano que ele simplesmente faça de conta que somos um robô e que ele também é, simplesmente ignorando esta necessidade do ser humano?

A grosso modo é mais ou menos como comer doce na frente do diabético.

Por quê é livre qualquer pedido e queixa menos o da sexualidade?

É fácil pedir um copo de água quando estamos com sede, é fácil dizer que estamos com fome, que está frio ou calor, mas é difícil dizer “”estou ansioso por que estou em abstinência sexual, a dois, três, seis meses “”

Sexo e é uma necessidade básica do ser humano segundo a pirâmide de Maslow, assim
como comida, água, ar, sono, excreção etc.

Já vi situações em que o paciente foi chamado de tarado!

Em que se preveniu a equipe toda de que aquele pobre coitado teve uma ereção
durante o banho!
Que tristeza meu Deus! Fiquei com dó dele.

Coitado, apedrejado por que não se entendeu que sua necessidade básica estava comprometida, o sexo.

Já trabalhei em UTI, e em pacientes inconscientes com Trauma Raquimedular, acontece a ereção mas por motivos patológicos, mesmo assim vi um certo torcer de nariz para a situação.

Também em pacientes em acidentes de trânsito com suspeita de trauma raquimedular fazem priapismo (ereção prolongada e dolorosa que pode ser no contexto sexual ou fora dele) e na hora que precisamos cortar suas roupas para fazer o E do ABC da vida, encontramos algumas vezes uma ereção!

Claro que também é patológica, mas é necessário conhecimento para que não veja a situação de outra forma,mesmo por quê não há nada excitante em um acidente de trânsito!

Ou então imagina ir buscar um paciente em casa que sofreu um acidente por animal peçonhento (uma aranha armadeira por exemplo) e você ouve entre as queixas um certo desconforto em dizer que está excitado e não sabe por que!!! E que esta ereção ainda por cima dói!

Ou será que ele ficará realmente a vontade para dizer onde está doendo?

Será que ele vai entender que faz parte dos sinais do quadro clínico?

São situações e situações, mas não dá pra fugir do imaginário de quem recebe nossos cuidados, frisando aqui que não são só homens que fazem parte disso, mas as mulheres também!

Enfermagem não é profissão exclusiva de mulheres, e já ouvi e vi muita história de cliente e enfermeiro, afinal nossos rapazes também fazem parte da fantasia de alguém.

Contudo falar de sexualidade é muito difícil, eu mesma tive muita dificuldade para escrever sem agredir alguém ou parecer que estou banalizando o assunto, mas é necessário que se entenda o ser humano neste aspecto e não apenas condená-lo.

Voltando a pergunta do início do texto, a de que por quê não há fantasias com as outras mulheres que trabalham no hospital, dá agora para imaginar por quê?

Por quê o toque é exclusivo nosso, você não vai ver uma médica dando banho no paciente, nem a psicóloga, nem a nutricionista, muito menos a Serviços Gerais!

Somos nós da Enfermagem que estamos mais próximos, a fantasia não é por quê estamos de branco, e sim por quê cuidamos, não é por quê a profissional que foi lá cuidar é bonita, mas sim a sua presteza e delicadeza para fazer os procedimentos, claro que isto é levado para a conotação sexual por que mexe com nossos sentidos, o toque é poderoso, gostamos de ser tocados,gostamos de ser amados, gostamos de ser protegidos,são necessidades do ser humano e que são buscadas em todos os momentos da vida. Não é a toa que o homem sempre busca a mãe na esposa de alguma forma, a figura da mãe é insubstituível, mas há sempre a busca da continuação deste trabalho.

Somos seres sociais, precisamos do grupo, da companhia, de conversar, de estar junto de alguém. Dentro de um hospital com pacientes acompanhados e sozinhos, vemos isto, e quem está lá para servir e ouvir? Nós a Enfermagem. Nosso papel é grandioso e edificante.

Imagine você que está lendo começar a dividir uns momentos que você só dividiu com sua mãe ou de quem cuidou de você e de repente você começa a dividir com um monte de gente que não conhece!!

Por exemplo o momento das necessidades fisiológicas, do banho, da hora do desespero, da tristeza. Esta pessoa passa a ter permissão para tocar seu corpo, dar seu banho, pentear seus cabelos, fazer sua barba, trocar suas sondas, estar ali presente, muitas vezes ouvindo-o, vendo-o chorar, sentindo sua tristeza por ser terminal, vendo as fases passarem até o fim, participando de seus rompantes de desespero e desesperança, sofrendo quando você diz :
‘’Sai daqui, quero ficar só!!” Não quero banho, não quero comida, quero morrer!

Pra quem não é da profissão e pra quem é também e acha que é só aprender a dar medicação e trocar lençóis, dar banho e perguntar onde dói, está muito enganado.

Ou grosseiramente dizer que enfermagem é só limpar bunda!
Acredite meu amigo, eu já ouvi isto!
E eu respondi para a criatura que por incrível que pareça pertencia a mesma classe:

“”Pois saiba que até para limpar bunda existe uma técnica, existe um preparo que não é qualquer um que tem, existe todo um conhecimento técnico-cientifico-sociológico que nem todos os que trabalham com isso adquirem, como por exemplo você’’

Somos muito mais e o paciente vê muito mais do que isso, ele é capaz de eleger aquela que é sua cuidadora e esperar pacientemente pelo dia de seu plantão, é capaz de dizer ‘’quero ser cuidado por aquela moça ali’’

As coisas acontecem, mas acredito que saber se sair é chave de tudo, não há necessidade de alarmes e escândalos, já passei por várias situações algumas de situações patológicas outras bem fisiológicas! Mas soube me sair, apenas dizendo “”eu vou sair e o senhor se recompõe, depois eu volto”” assim, simples sem alarde, sem fazer um evento da coisa, sem me sentir a mulher fatal.

Da mesma forma que respondo as provocações de pacientes idosos, que adoram testar a sua capacidade de sedução, digo sempre a eles “”Eu faço mal a sua saúde!!!’’ a maioria ri e desisti do intuito, por que intrinsecamente nas minhas palavras eu digo que não dá mais pra tanta estripulia! Mas fico feliz por ele pensar assim, é bom pra cabeça dele fantasiar, isso faz com que se sinta vivo.

Não apoio a exposição das fantasias, nem filmes pornográficos ou as manifestações negativas quanto a verdadeira origem da história, mas acredito que não precisamos dar tanto destaque a isso, por que nunca nos livraremos delas. Acredito que precisamos sim conhecer bem a história da sexualidade e das manifestações clínicas para não falarmos besteiras, precisamos na verdade entender por quê elas existem e principalmente não fazermos besteiras, como somos bons observadores e conhecemos muito de comportamento humano aprenderemos a contornar estas situações que acontecem rotineiramente, nem todos, mas aprenderemos.

É óbvio que com conhecimento social e comportamental, e um pouco de fisiologia se faz muita coisa, mas infelizmente são disciplinas que não são muito bem vindas quando somos acadêmicos, mas fazem uma falta na prática!

Agora você que está lendo pode ver com outros olhos as fantasias de enfermeira, você vai perceber que existe toda uma história atrás daquilo que parecia uma perversão masculina, mas que tem na verdade uma explicação cientifica e social.

Resolvi escrever esse texto depois de um comentário de uma pessoa em relação a uma foto minha vestida com o uniforme branco, ele me disse que minha roupa estava muito sexy para o evento e eu sinceramente não vi nada de sexy numa saia
abaixo do joelho, uma bata de mangas compridas, meias, cabelos presos, mas ele conseguiu enxergar alguma coisa e nem estava internado!!!
Aí ao lado está a foto do tal uniforme sexy, pelo menos eu estava bem arrumada, e nos padrões exigidos, a maldade está nos olhos quem vê.
Priapismo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para:
navegação, pesquisa

Priapo, na mitologia grega, era um deus da fertilidade.
Priapismo é uma condição médica geralmente dolorosa e potencialmente danosa na qual o
pênis ereto não retorna ao seu estado flácido, apesar da ausência de estimulação física e psicológica. A ereção dura em média 4 horas, e pode levar à impotência sexual definitiva.
O priapismo é uma
emergência médica e o recomendando é procurar atendimento de emergência prontamente.
[editar] Causas
Os mecanismos que causam o priapismo são pouco compreendidos mas envolvem complexos fatores neurológicos e vasculares.
O priapismo pode estar associado a distúrbios
hematológicos, especialmente a anemia falciforme e outras condições como a leucemia, talassemia e doença de Fabry, e distúrbios neurológicos como lesões e traumas à medula espinal (o priapismo já foi relatado em vítimas de enforcamento).
O priapismo também pode ser causado por medicamentos. Os medicamentos mais comuns que causam priapismo são as injeções intracavernosas para o tratamento da
disfunção erétil (papaverina, alprostadil). Outros grupos relatados são os antihipertensivos, antipsicóticos (por exemplo chlorpromazina, clozapina), antidepressivos (mais notavelmente a trazodone), anticoagulantes, e drogas recreacionais (álcool e cocaína). Os inibidores da fosfodiesterase tipo-5 (PDE5) como a sildenafila (popularmente conhecida como Viagra), a tadalafila e a vardenafila provavelmente não causam priapismo.

Ciência e Tecnologia : Veneno de aranha brasileira pode ser solução para impotência
Enviado por
Délcio Rocha em 4/7/2007 9:52:32 (617 leituras)
O veneno da aranha brasileira [size=small]Phoneutria nigriventer, conhecida como armadeira, poderá ser usado para o desenvolvimento de um remédio natural contra a impotência. [/size] Cientistas observaram que homens picados pela aranha apresentavam diferentes sintomas, incluindo priapismo (ereção do pênis dolorosa e persistente).A toxina que seria responsável pelo priapismo, Tx2-6, foi isolada pelos pesquisadores e injetada em ratos para análise dos efeitos colaterais.A ereção nos animais foi monitorada e constatou-se que essa foi potencializada após a injeção de Tx2-6 - substância que poderia ser utilizada para remédios contra a impotência. Mais testes estão sendo realizados agora por pesquisadores brasileiros na Medical College of Georgia, nos Estados Unidos.O estudo foi feito por cientistas da Universidade Federal de Minas Gerais em colaboração com a Fundação Ezequiel Dias. A pesquisa deverá ser publicada dentro de um mês.Fonte: BBC Brasil

2 comentários:

franci bahamult disse...

agora sim no local certo!
1 onde tem uma fantasia de enfermeira a venda?
2 ta certo! concordo! a saia estava abaixo do joelho de forma bem Luterana! alguem tem uma tesoura por ai?...(risos)
3 mantenho o comentario sobre os links complementares desvinculados do material de sua enriquecedora autoria

José Ricardo Frois disse...

Olá Jane
Que bom que a net nos proporciona conhecer pessoas de tão longe; Fiquei feliz em ver um blog elaborado e com conteúdo como o seu (confesso que temas bem aprofundados e que desprendem tempo para lermos todas as tuas abordagens) Serei assíduo por aqui, adoro pessoas afiadas, críticas e autênticas nos seus pontos de vista, não serei um concordador em tudo heim!! Tbém sou crítico rssss, olha abraços e siga firme nesta profissão e com esta visão de mundo que vc tem.
www.enfermeirojr.zip.net